Versatile Mage (VMA) – Capítulo 11


Ye Xinxia


Mo Fan  estava animado enquanto cantarolava Little Apple enquanto caminhava em direção a Escola Mingwen. 

A Escola Mingwen, é  uma escola  exclusiva para garotas. As garotas mais delicadas e sofisticadas estavam reunidas lá.

A diferença desta escola para as outras é que ela não ensina a entediante Teoria Mágica, e ela definitivamente não possui imbecis que só sabem como fazer provas em livros mágicos. Essas meninas vieram de famílias com origens mágicas, assim, naturalmente, elas sabiam mais do que os estudantes de magia que tinham que passar por nove anos de educação Mágica obrigatória. Por exemplo: algumas delas frequentemente usavam um enfeite de Ferramenta Mágica em torno do peito.

Esta segunda geração* Mágica, usa as Ferramentas Mágicas que aumentam suas Forças Espirituais desde o dia em que nasceram. Comparado a essas pessoas, Mo Fan  era  apenas um camponês que precisava escalar seu caminho passo a passo.

As ruelas ao redor da escola estavam cheias de veículos luxuosos, já que a aula já estava acabando. Mo Fan conhecendo muito bem a personalidade de Xinxia, sabia que ela com certeza sairia por aí de limusine com as garotas pela ruela no beco, enquanto cheirava a fragrância do pequeno bambu que era plantado pelos moradores perto de suas janelas.

Mo Fan caminhou ao redor da entrada principal enquanto planejava esperar pela sua irmãzinha, Ye Xinxia, no final da ruela no beco.

Não havia muitas pessoas que passavam pela ruela no beco. Mo Fan passou por outras pessoas no pátio quando ele entrou na familiar ruela.

Embora o mundo tenha mudado, a cidade com a qual ele era tão familiar não mudou, nem o bambu perto da janela.

Pensando nisso, Ye Xinxia não deveria ter  mudado também.


Mo Fan estava no meio do beco com as costas encostadas na parede. Ele parecia um gângster esperando por uma oportunidade para extorquir fichas de <fliperama> de estudantes mais novos. Ele ocasionalmente levantava os olhos para olhar a entrada do beco, na esperança de surpreender a garota que  estava  prestes a se aproximar. Quem teria pensado que a bela silhueta não iria aparecer  por  metade do dia? 

‘Por que ela não chega?’

A postura de pé em que Mo Fan estava, o fez sentir-se dormente.

Quando ele brevemente fechou os olhos, Mo Fan estava praticamente prestes a entrar em meditação por força de hábito.

Subitamente, Mo Fan ouviu ruídos próximos da entrada do beco na direção de uma pequena colina. Normalmente, esses ruídos e clamores seriam silenciados pelas altas paredes do beco. Por algum motivo, esses ruídos chegaram ao seus ouvidos.

‘Poderia ser que os efeitos secundários da meditação aumentaram minha percepção?’

Mo Fan curiosamente começou a andar na direção da pequena colina. 

Enquanto ele caminhava na direção da pequena colina, seu raio de visão subitamente clareou-se. Na parte da frente, o sopé da colina, ficava a cerca de um quilômetro da casa que a família de Mo Fan vendeu recentemente.

Descendo  a colina havia um pequeno gramado junto de um parquinho. Ali perto foi feito um balanço de videiras torcidas.

O balanço estava parado, sem o menor movimento.

Havia uma garota com longos cabelos negros, sentada no balanço. O vento do inverno desarrumou seus cabelos, revelando um rosto sedoso branco e requintado. Ela tinha longos cílios, nariz delicado e lábios brilhantes como jade.

Ela olhava atentamente para a frente silenciosamente. Era como se ela fosse um quadro, se mesclando perfeitamente com as oscilações do inverno e de um lótus delicado. Fria e encantadora, no entanto, sozinha, enquanto seu temperamento único florescia.

Os passos de Mo Fan  pararam repentinamente, sem perceber, quando ele começou a  desfrutar o sentimento de vê-la assim. Vê-la sentada causou uma corrente quente a surgir dentro de Mo Fan, fluindo pela parte mais profunda de seu coração. Nesse momento, ele não pôde evitar que o canto de sua boca se curvasse em um sorriso.

No entanto, neste momento, Mo Fan sentiu que algo não estava certo.  

Suas sobrancelhas imediatamente franziram quando ele caminhou em direção à garota graciosa sentada no balanço.

A garota também sentiu alguém andando em sua direção, contudo, quando ela viu que era Mo Fan, seu rosto não pareceu surpreso. Ela apenas gentilmente riu como se soubesse que essa pessoa viria e ela estava aqui esperando por ele.

— Irmãozão Mo Fan. — A menina gritou com uma voz doce. 

— É esse merda de novo, não é? — Enquanto Mo Fan se aproximava, um traço de raiva subiu em seu rosto.

Xinxia não disse nada. 

— Hoje, eu definitivamente vou lidar com eles,  eles são um grupo de degenerados! — A raiva de Mo Fan se multiplicou, quando ele olhou para a escadaria da colina.

— Há muitos deles, deixa isso pra lá. — Xinxia balançou a cabeça, advertindo Mo Fan a abandonar sua raiva.

— Não é possível olvidar isso. Eu vou lidar com essas escórias. — Mo Fan não disse mais nada e subiu a escadaria.

Xinxia, que estava sentada no balanço, queria segurar Mo Fan, mas Mo Fan já estava subindo a colina, fervendo de raiva.   

Xinxia estava familiarizada com o temperamento de Mo Fan. Ele sempre lutou contra os valentões e malandros do bairro por causa dela. Ele lutaria contra várias pessoas toda vez  e retornaria com ferimentos por todo o corpo…

E isto era a última coisa que ela queria ver.

Aqueles que a incomodam dessa vez não são reles valentões ou malandros. Era evidente que essas pessoas há muito tempo abandonaram a escola. As pessoas que mandam nessa área eram conhecidas como a Gangue do Urso Azul. Eles foram contratados pelas garotas ricas que moram por aqui; de quem elas não gostassem, eles as esmagariam.

Havia ao menos cinco pessoas lá, e dois deles tinham corpos muito robustos, seus corpos eram várias vezes maiores que o de Mo Fan. Se Mo Fan fosse lá para encará-los, ele definitivamente  seria cruelmente espancado.


No pavilhão da colina.

— Xu Bing, você não acha que nos falta elegância ao fazer isto? — Um jovem disse com um cigarro pendurado na boca e cartas de pôquer nas mãos.

— Como estamos deselegantes? Esta é a minha décima sexta vez expressando meus sinceros sentimentos por ela, permitindo que ela se torne minha namorada. Não posso sentar aqui no pavilhão e jogar pôquer enquanto ela considera isso? — O jovem chamado Xu Bing respondeu.

No pescoço de Xu Bing havia uma tatuagem de cor azul clara e, devido a sua jaqueta curta que cobria metade da tatuagem em seu pescoço, ele parecia extremamente atraente. Você poderia dizer com um único olhar que ele era um personagem que era complicado de provocar.

— Sim, se ela quisesse rejeitar você, ela já teria ido embora… King Flash*, hahaha. Dê-me o dinheiro, dobre! — Sentado do outro lado, um jovem usando um chapéu de caubói disse.

— Porra, essa merda de sorte sua. —

— Mais uma rodada, mais uma rodada. Nós vamos jogar até o céu ficar escuro. Eu não acredito que a garota não entre em pânico. — Xu Bing estreitou os olhos, apreciando a sua “superioridade”.

Frente às garotas, ele deveria ser intransigente. A disposição natural de uma garota era ser tímida, se alguém não é um pouco intransigente, então não seria capaz de fazer nada. Essa garota Xinxia, ficará mais bonita com o tempo, ver ela realmente o deixa excitado. ‘Na verdade, alguém diria que eu sou como um sapo que quer comer a carne de um cisne. Hoje vou reivindicar essa garota e ver quem ousa dizer alguma coisa.’

— Ah, claro, eu lembro que essa garotinha tem um irmão, isso é problemático. — O jovem com chapéu de caubói comentou.

— Ele é fraco. Além de ter uma personalidade inabalável, ele é apenas um saco de pancadas. Você pode espancá-lo como quiser. — Disse Xu Bing, sem se importar muito.

— Está certo. Anteriormente, fui o suficiente para lidar com ele. Agora, que eu ganhei alguns músculos, gostaria de tentar espancá-lo novamente! —


Fala galerinha, tudo bem? Empyrean aqui. Estão gostando da novel?

Comenta aí o que estão achando da novel até o momento, seu feedback é importante para a continuação da tradução da obra, conto com vocês!


Tradução/Edição: Empyrean


<Capítulo Anterior> <Índice> <Próximo Capítulo>