Birth of the Demonic Sword (BOTDS) – Capítulo 04


A Respiração do Céu e da Terra


O tempo continuou passando, e rumores sobre um prodígio intelectual se espalharam pela família Balvan.

— Ouvi dizer que ele era capaz de falar fluentemente com apenas um ano e meio de idade. —

— Ouvi dizer que aquela criança começou a correr todas as manhãs, antes do café da manhã, apenas três meses depois que aprendeu a ficar a andar. —

— Você não vai acreditar em mim, mas eu vi aquela criança indo sozinho à biblioteca dos hóspedes, tentando puxar livros das prateleiras. Acredite, eu estava fazendo o serviço de limpeza naquele momento e o encontrei olhando os símbolos no livro como se ele pudesse ler. E ele tinha apenas dois anos na época! —

— Isso é impossível, o pedido da mãe dele por um professor foi aprovado há dois anos e meio, você está dizendo que ele sabia ler antes mesmo de ter um professor? —

— Só estou dizendo o que vi. Não sei se ele estava lendo, mas ele parecia estar tentando. —

Rumores como esses estavam por toda parte no prédio dos hóspedes, espalhando-se de servo à servo. Todo mundo estava esperando pelo próximo recorde que o filho bastardo quebraria com sua velocidade de crescimento.

Cinco anos haviam passado desde que Noah nasceu neste mundo, com ele trabalhando duro para melhorar a si mesmo e ganhar uma posição estável na família.

Ele continuava correndo todos os dias, adicionando alguns exercícios leves para tornar seu corpo ainda frágil menos fraco. Isso lhe dava uma figura magra, mas promissora, e ele sentia seu corpo se tornar mais forte a cada dia. No entanto, mesmo que ele fosse mais forte do que uma criança normal, ele ainda era apenas uma criança. Ele fazia apenas meia hora por dia de treinamento, já que esse era o limite de seu corpo jovem. O resto do dia foi gasto comendo grandes refeições feitas de arroz e carne, dormindo ou lendo.

Dois anos e meio atrás, ele finalmente conseguiu um professor, para que ele pudesse parar de se esgueirar à noite tentando decifrar os símbolos estranhos que eles chamavam de escrita.

O nome do seu professor era Li Neregnes. Ele foi um dos eruditos contratados pela família principal para instruir seus descendentes e sua posição na família era bastante alta para um hóspede. O pai de Noah, Rhys, o acompanhou pessoalmente até o círculo externo, subjacente* que o processo de instrução deve ser levado a sério e não como uma brincadeira.

Aparentemente, a posição de erudito era uma posição mais alta do que a dele aos olhos de Rhys, desde que esta foi a primeira vez que Noah viu seu pai após o dia de seu nascimento.

Li Neregnes era um homem na casa dos sessenta anos, com cabelos grisalhos presos em um rabo de cavalo e uma barba preta curta visivelmente bem cuidada. Ele tinha um rosto apático como se nada fosse do seu interesse e explicou as coisas de uma maneira lenta, mas coerente. No entanto, mesmo esse personagem elevado teve que mudar sua disposição para com Noah quando descobriu que ele aprendeu a ler em menos de 6 meses de instrução.

Depois disso, ele terminava de ler todos os livros que o erudito lhe dava cada vez em menos tempo, ele até teve tempo de pegar livros de seu interesse da biblioteca no andar térreo. Os servos estavam tão acostumados a ele escolhendo livros que nem sequer o lembrara de devolvê-los.

Aos cinco anos de idade, Noah tinha um entendimento geral da topografia perto da mansão, do status social da família Balvan e, finalmente, encontrou algo a respeito dos cultivadores.

A mansão Balvan ficava no campo perto da Floresta Perene, assim denominada pelo tipo de árvore da qual a floresta era feita. A grande estrada de pedra do portão principal fluía para uma estrada ainda maior que levava à cidade grande mais próxima: Bosque do Musgo, que era governada pela família Shosti.

A família Balvan era subordinada da família Shosti e tinha que pagar um tributo anual de ouro ou mercadorias para manter seu domínio sobre essa parte do campo. Eles eram os proprietários dos 50 quilômetros quadrados em torno da mansão Balvan e precisavam cobrar impostos anuais das aldeias da região e protegê-los do ataque de bandidos ou bestas mágicas.

Bestas mágicas! Nesse mundo, havia espécies de animais com o dom inato de absorver energia do mundo e usá-la para fortalecer suas habilidades naturais. A lança de chamas usada pelo dragão anos atrás era um tipo de uso da energia do mundo que fortalecia suas chamas já poderosas, dando-lhe maior alcance e destrutividade.

Finalmente, cerca de um ano atrás, Noah encontrou um livro sobre cultivo. Era um livro antigo e pesado, escrito por um cultivador que queria espalhar a noção de cultivo para as pessoas comuns e que mais tarde se tornou um clássico da literatura. O nome do cultivador foi perdido com o passar do tempo, mas o nome do livro ainda era conhecido por todas as pessoas do cultivo como “sistema Yin-Yang”.

‘De acordo com o livro, a energia da natureza é chamada de “Respiração do Céu e da Terra” e os cultivadores e bestas mágicas a absorvem e a armazenam para fortalecerem seus corpos, prolongar suas vidas e usar técnicas mágicas. A “Respiração” pode ser usada como um meio de fortalecer o corpo e as técnicas marciais, ou pode ser vinculada à energia mental de alguém para lançar ataques elementais. Os 7 tipos elementos são: luz, escuridão, fogo, água, terra, vento e trovão e a aptidão de alguém para um deles é decidida ao nascer. Geralmente, todo mundo tem aptidão para um elemento, mas a diferença na energia mental determina sua capacidade de manipular esse elemento.’

Noah estava atualmente tendo uma aula com Li Neregnes sobre filosofia em uma sala no primeiro andar do prédio dos hóspedes, mas sua mente estava constantemente vagando pelos tópicos descritos no “sistema Yin-Yang”.

‘As bestas mágicas têm a habilidade inata de manipular e absorver a “Respiração” e aprendem a usá-la naturalmente ao longo de suas vidas, pode-se dizer que a sua linhagem é bastante vantajosa segundo esse aspecto. No entanto, o Céu e a Terra são justos, portanto, a maioria deles não tem inteligência para usar melhor seus dons.’

‘Os humanos, por outro lado, podem fazer uma lança com pedras, arco e flechas com uma árvore, mas precisam de técnicas para absorver e usar a “Respiração” e até dispositivos especiais para entender sua disposição em relação a um elemento.’

‘Não é à toa que este livro não tenha sido destruído pelos cultivadores e tenha conseguido sobreviver até agora, mesmo que você conheça a teoria geral por trás desses poderes, não poderá fazer muito sem as técnicas adequadas. O melhor que este livro pode fazer é oferecer uma melhor compreensão do sobrenatural para as pessoas normais.’

”O Céu e a Terra são justos”, ele disse, ‘mas se você nasceu em uma família pobre, pode apenas sonhar em obter técnicas. Mesmo para mim, nascido em uma família de cultivadores, é difícil dizer se algum dia eu poderei dar uma olhada nessas técnicas mágicas… Justo é o caralho.’

Mesmo que Li Neregnes estivesse absorto em sua exposição, ele começou a perceber que Noah apenas acenava para ele em resposta toda vez que olhava para ele, enquanto seus olhos estavam olhando fixamente para o mesmo ponto do livro na frente dele por uma hora.

Um pouco enfurecido, Li Neregnes pegou uma vara de madeira e acertou no braço esquerdo de Noah.

SNAPP!!!

Um estalo soou e Noah levantou a cabeça para encarar o professor enquanto segurava o local onde a vara de madeira havia atingido.

— Você ainda está pensando nessa besteira de cultivo? Quantas vezes tenho que te dizer para não perder o seu tempo? Você é apenas um bastardo de uma família nobre de tamanho médio, mesmo que a família Balvan possua algumas técnicas, elas não são para você. Além disso, a literatura é a representação real dos seres humanos, o cultivo é apenas sobre matar e ser morto, não há nada nobre nisso. —

Li Neregnes o repreendeu, aparentemente essa não era a primeira vez que a mente de Noah vagava. Na verdade, foi desde que ele terminou o “sistema Yin-Yang” que ele perdeu completamente o interesse pelas aulas de literatura. Afinal, ele alcançou seu objetivo de descobrir mais sobre o mundo do cultivo, para que essas aulas se tornassem apenas uma obrigação chata.

— Mas, professor, até o homem mais sábio tem que inclinar a cabeça para a besta mágica mais fraca. Se você não tem o poder de se proteger, todo o seu conhecimento é inútil. —

SNAPP!!!

Outra batida da vara de madeira pousou no braço direito de Noah. Para o desamparo do professor Li Neregnes, Noah apenas segurava seu braço e soltava um grunhido enquanto nenhum traço de medo aparecia em seus olhos.

‘O que há de errado com esse garoto, instrui o primeiro filho do patriarca e, mesmo agora que ele completou 25 anos, ainda teme minha vara de madeira. Mas esse garoto…’

Esses eram os pensamentos de Li Neregnes, incapaz de domar um garoto de cinco anos.

— Deixa pra lá, apenas descanse e não perambule na biblioteca a noite toda como de costume. Vejo você novamente em dois dias e é melhor você ter esquecido toda essa besteira de cultivo. —

Massageando suas têmporas, ele disse isso enquanto apontava a porta de saída para Noah.

Com suas palavras, Noah se levantou, pegou seus livros, se curvou e saiu da sala.


Tradução/Edição: Empyrean


<Capítulo Anterior> <Índice> <Próximo Capítulo